Poder

“Um herói louco? Um homem louco?” Qualquer coisa, mas o que interessa é que ele pratica o bem.”

“Poder e Vingador, envolvidos numa odisseia pela morte do Matador.”

Poder e Vingador…“Os dois chegam a se digladiarem, mas no fim eles se tornam amigos.”

Com esse texto introdutório logo na capa da revista do novo personagem  de meu irmão, Vicente Fiscina Neto ( O criador de Vingador! ), percebemos logo de cara do que se tratava…ou não.kkk!

Desenvolvida na mesma época das “tosqueiras”( Sim anos 90! ), o personagem surgiu em parceria com o Vingador, nada mais conveniente.

Mais uma publicação da CCP.

Os primeiros números, feitos a lápis, tinham uma média de 10 a 12 páginas.

Deixando a parte técnica de lado, “Poder” ainda estava no processo de “Ser ou não ser, eis a questão”.

Tanto que na contra capa da primeira edição, há um questionário criado para tentar esclarecer o papel do personagem:

“Quem  é Poder? R- Ele é um lutador contra o crime.

“Existe algum, Poder, nele? R-Não e sim, habilidade, algum pouco de força e inteligência em manusear armas.

“Qual é seu alter ego? R- Jack.

“Qual a sua zona de trabalho? R- Rio de Janeiro.

“Qual a sua origem? R- É desconhecida,ainda.

Só ratificando, o que notamos de principio, era basicamente um personagem a ser desvendado…pelo autor, mesmo.kkk!

Pegou uma “carona” com um dos vilões mais mortais de Vingador, para sua estreia, pra de principio, justificar sua primeira missão.

Com um visual, simples ( capa e chapéu.), ele coincidentemente também caçava o famigerado Matador.

Poder

Primeira Edição: Poder…em parceria com Vingador!!

Poder e Vingador se cruzam num determinado momento, e ( como já lemos antes.), lutam e depois se unem ( premissa básica de qualquer crossover.)

Com a missão seguindo o padrão “parceria contra um mal em comum”, ambos enfrentam o Matador.

Mas na ocasião, a união não faz a força, quando seu adversário se prepara com uma armadura, hi-tec.

Matador, os derruba facilmente, usando do elemento surpresa ( Ele nunca apareceu tão paramentado assim.), e de seu poderio armamentista.

Na edição 3, percebemos que “Poder”, tem alguma coisa diferente, durante seu aprisionamento com Vingador.

Ele vai para outro plano de existência, e conversa com um ser de voz poderosa, questionando-o com inúmeras perguntas.

Nesse momento, o personagem adquire mais profundidade do que imaginávamos, e um plot totalmente novo.

E ficamos com algo em aberto, “Ele realmente falou com uma entidade poderosa, Deus? Ou… são devaneios de sua loucura?”

Ele desperta, e vê Vingador preso, se libertando.

Como de costume, o vilão não os matou, mas os torturou e aprisionou, apenas para saborear sua vitória… Temporária.

Livres, chegam facilmente até o Matador, que estava num momento intimo com uma jovem.

Vingador mostra que não tem pena de ninguém e que quem está com um vilão como ele, é cúmplice e não merece um mínimo de piedade, ele atira na jovem, e desafia Matador, pra uma luta, de homem pra homem.

“Poder”se torna juiz, dessa “luta livre”.

Após vários golpes desferidos, Vingador vitorioso, como ato de misericórdia, resolve dar uma última chance a Matador.

Ele é esfaqueado surpreendentemente por Matador.

Isso desperta  a fúria de “Poder”, que desfere golpes violentos no vilão, e tem um comportamento selvagem, fora do comum.

Dessa vez, Matador, ensanguentado, atinge a inconsciência.

“Poder” tenta erguer Vingador em vão, o parceiro, solta sorrateiramente uma frase: “J-Jack..eu não sinto as minhas pernas..” a facada de Matador, atingiu um ponto grave do herói, e que vai deixa-lo paralítico.

Poder

Poder e Vingador contra o “Máquina de Combate” genérico…

Poder

Após a surra da dupla…Poder viaja…pelado! ( O fascínio de meu irmão desenhar homens pelados..kkk!)

Poder

Poder se liberta, e confrontam Matador…pelado.( olha aí..novamente!kk!)

Luta sangrenta entre Vingador e Matador….Poder louco…e Matador,finalmente derrotado.

Essas foram às cinco primeiras edições, que apresentaram uma parceria tradicional , e que no seu desfecho se mostrou, muito interessante.

Esse personagem, ainda teve uma longa fase, que durou 32 edições.

Até a próxima pessoal!