Quadrinhos como terapia

Quadrinhos é..Terapia?

Desenhos terapêuticos?…isso realmente existe? E quadrinhos como terapia?

Bem, quem anda acompanhando os artigos do site, sobre minhas criações desde os onze anos.

Conheceu um momento em que eu precisei externar algumas coisas.

E nesse contexto, e em uma outra categoria, os quadrinhos como terapia, se enquadram bem.

Sim, desenhar é prazeroso, e a prática disso sem dúvida, alimenta seu lado artístico, e serve como uma espécie de relaxamento.

Como também, te desligar um pouco da realidade, simples e crua.

Usar a arte como terapia, não é algo incomum, obviamente, e com certeza, não é algo sem importância.

Não falo isso somente por mim, existem inúmeros exemplos por ai.

Mas vamos voltar ao cerne do artigo, quadrinhos como terapia.

O desenho terapia, tem uma utilidade além da básica, percebi isso na prática em minha adolescência.

E após trinta anos, com uma certa experiência, usando uma visão mais analítica desse momento, acredito que posso mensurar certas coisas.

Duas criações minhas de quadrinhos exemplificam bem, esse momento, “agitado”e “revoltado” de minha adolescência “Rocker”.

Falo do “Comando Mortal” ( em busca da última edição…eternamente! ) e da “Face Negra”( Marvic Ação/Edição especial ).

Claro, os quadrinhos como terapia, acerca dessas citadas obras, tratam de temas delicados e polêmicos psicologicamente.

E pesados, muito pesados, ainda mais nos tempos de “politicamente correto” em que vivemos.

Tem muita violência, em ambas as obras,uma representação exacerbada de uma necessidade que é inerente a vários seres humanos.

Calcada com comportamento e variações das possibilidades do que uma mente humana, pode fazer, seja de bom… ou de muito ruim.

A mente humana, sempre me atraiu, não só nos quadrinhos, ou filmes, mas como um todo.

E lidar com histórias com uma vertente psicológica, sempre me despertou interesses acima do comum.

Não sou especialista em terapia alguma, e não quero aqui ser o dono da razão.

Apenas expressar a vivência que tive nos quadrinhos e a maneira como ele ajudou minha psique.

Apesar de não exercer e ser formado na função, talvez a influência de alguns amigos psicólogos próximos, tenha alimentando ainda mais minha curiosidade.

E os quadrinhos, eles realmente serviram como terapia?

Ao menos pra mim, é forma de externar a dor interna, as decepções da vida, a falta de esperança, o desejo de possuir e não ter, as injustiças da sociedade humana como um todo.

Tudo isso de maneira imagética e criativa, afinal de contas, eu passei tudo para o papel, e não diretamente a alguém.

Talvez criar quadrinhos para mim, tenha sido uma alternativa, uma espécie de terapia artística, que além da citada função emotiva, também serviu para desenvolver ainda mais minha imaginação.

Basicamente, esses desenhos terapêuticos me auxiliaram muito, a lidar com os entraves da vida.

E porque eu vejo dessa forma?…o que é realmente uma arte terapia?

Arteterapia é uma disciplina híbrida baseada principalmente nas áreas das artes e da psicologia. Ela possui história e teorias próprias e é aplicada por profissionais habilitados por cursos de especialização e/ou mestrado em arteterapia.

Não, não sou um profissional, mas reconheço e percebo o quanto minhas criações, minhas ilustrações, meus universos criados, meus personagens fictícios (muitos deles baseados em mim.), foram importantes nessa fase adolescente.

E em certo ponto, ajudaram a desenvolver minha pessoa, minha percepção da vida.

Não é preciso ser um especialista, para compreender que a época da adolescência não é algo fácil de administrar.

E nem pra compreender o quanto é complexa a mente humana, e suas necessidades a cerca da convivência nessa sociedade imperfeita.

A arte como terapia, diria que serve para redirecionar anseios e frustrações, desejos, tudo que nós guardamos internamente, e que consequentemente há uma necessidade de extrair de alguma forma.

Qual maneira melhor de fazer isso, sem ofender ou machucar alguém?…terapia artística, num contexto mais amplo, e não menciono somente, ilustrações ou quadrinhos,dessa vez, mas a arte como um todo.

Sem me estender muito, os quadrinhos como terapia, em minha opinião, existem, e não acho que seja só eu que acredito piamente nisso.

Leitores de quadrinhos, e admiradores de artes, de modo geral, atentem para as obras que vocês  conhecem, porque sem dúvida, essa experiência os faz conhecer mais sobre as pessoas que os criaram.

Quadrinhos como terapia